Oi tenta vender privacidade de usuarios e acaba se queimando

QueremosPrivacidade

Os assinantes do navegador de internet Velox (Lermax) serviço de banda (lerda) larga da operadora Oi(tudo bem), tiveram seus dados de navegação mapeados para compor um perfil(facebook ?) e, posteriormente, as informações foram vendidas a anunciantes(alem de não providenciarem net decente agora vendem seu histórico Lol), agências de publicidade e portais interessados em ofertar publicidade e conteúdo personalizados(SPAM).

Foi a primeira violação comprovada(comprovada) da neutralidade da rede, definida pelo Marco Civil da Internet, aprovado pelo Congresso Nacional no início deste ano, segundo o Departamento de Proteção e Defesa do Consumidor (DPDC)(achei q era uma lenda este departamento), da Secretaria Nacional do Consumidor.

O órgão do Ministério da Justiça decidiu, então, aplicar uma multa de 3,5 milhões de reais à TNL PCS, subsidiária da Oi e controladora da marca Velox. “O DPDC recebeu informações de que a parceria da Oi com a empresa britânica Phorm consistia no desenvolvimento do software chamado ‘Navegador'(internet Explorer), que mapeava o tráfego de dados do consumidor na internet de modo a compor seu perfil de navegação(material adulto em alta)”, diz a entidade em nota.

A investigação apurou que as empresas envolvidas violaram os princípios da boa-fé(no Brazil isso não existe) e transparência(não existe tbm), além de publicidade enganosa(isso tem bastante). A subsidiária da Oi teria, segundo o serviço de proteção, descumprido princípios fundamentais definidos pelo Comitê Gestor da Internet no Brasil(dês de quando isso existe), como a neutralidade da rede e o princípio da padronização e interoperabilidade(entre operadoras).

A tecnologia desenvolvida faz o redirecionamento da navegação do assinante do Velox. “A empresa, com o pretexto de melhorar a experiência de navegação, omitiu do consumidor informações essenciais sobre o serviço e suas implicâncias para a privacidade e segurança de dados pessoais(material adulto proibido detectado). Em nenhum momento o consumidor foi informado de que sua navegação seria monitorada pela empresa(fala como se eles fossem falar isso abertamente) e que o seu perfil seria comercializado com empresas de publicidade”, afirma o diretor do DPDC, Amaury Oliva.

Fonte: Veja

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *